Perguntas Frequentes

  1. 01 - Os profissionais liberais ou autônomos podem solicitar um financiamento imobiliário?

    Sim, mas precisam ter capacidade financeira calculada com base na renda apresentada e devidamente comprovada, de acordo com a exigência da instituição financeira que escolher para financiar seu imóvel.

  2. 02 - Comprometimento da Renda Mensal

    A parcela de renda ou salário comprometida para pagamento da mensalidade do financiamento é de até 30% da renda total bruta oriunda do tomador e participantes.

  3. 03 - No caso de casais, é possível somar as rendas?

    Sim, é aceita a soma de rendas para casais marido/mulher ou em união estável, noivo/noiva (proclamas), solteiro(a), viúvo(a). Demais situações são avaliadas caso a caso.

  4. 04 - No caso de uma família, é possível somar as rendas entre pais e irmãos ou avós?

    Geralmente não, porém algumas instituições financeiras permitem a composição da renda entre os adquirentes, independente do vínculo de parentesco.

  5. 05 - Eu posso adiantar algumas prestações do financiamento imobiliário?

    Sim. Isto se chama amortização. O cliente pode, a qualquer momento, com recursos próprios ou do FGTS amortizar o saldo devedor, reduzindo o prazo de financiamento ou o valor das prestações, respeitado o limite estipulado na legislação vigente.

  6. 06 - Como é feito o reajuste da prestação e do saldo devedor?

    Tanto as prestações quanto o saldo devedor são reajustados mensalmente de acordo com o índice da TR (Taxa Referencial), que também é utilizado para o reajuste da caderneta de poupança.

  7. 07 - Quais são as taxas e impostos que incidem sobre a compra de um imóvel financiado?

    Imposto: O ITBI - Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis é cobrado pela prefeitura local. É um imposto de competência do município, por isto o valor cobrado pode variar de um local para outro.
    Em relação às taxas temos as cartoriais que são pagas quando é feito o registro do imóvel, e também as taxas cobradas pelas instituições financeiras para abertura, avaliação do imóvel e manutenção do contrato.

  8. 08 - Pode ser feita a transferência de um financiamento imobiliário?

    Sim, é possível e praticado pelos agentes financeiros ou bancos. O saldo devedor do atual financiamento será assumido e/ou acrescentado ao valor do novo financiamento. As regras e a política de crédito deverão ser aquelas do momento de solicitação desse novo financiamento. Regras como, por exemplo, renda mínima, idade do tomador, taxas, prazos, e outras.

  9. 09 - Após a quitação de todas as parcelas do financiamento, o que devo fazer?

    Após a quitação o agente financeiro ou banco irá emitir um Termo de Quitação. Este termo deverá ser levado por você ao mesmo cartório de registro de imóveis onde o contrato foi registrado, para constar na matrícula do imóvel a quitação da dívida reconhecida pelo credor, bem como, a baixa da garantia que o imóvel estava submetido.

  10. 10 - Posso utilizar o meu saldo de FGTS para pagar parte do imóvel financiado?

    Sim. É permitida a utilização desses recursos, desde que tenha atendido todas as normas do SFH e do FGTS vigentes à época da assinatura do contrato, para as seguintes situações:
    compra à vista de imóvel residencial urbano concluído;
    amortização extraordinária do saldo devedor do financiamento;
    liquidação antecipada do saldo devedor do financiamento;
    pagamento de parte das parcelas mensais do financiamento.

  11. 11 - O que ocorre quando o consumidor deixa de pagar as prestações antes do término da dívida?

    O agente financeiro ou banco tentará renegociar a dívida, entretanto caso não seja possível há duas possibilidades de retomada do bem. A primeira: no caso da garantia ser hipoteca, é realizada uma ação judicial para retomada do bem imóvel e sua correspondente venda em leilão para quitação da dívida. A segunda: no caso da garantia ser alienação fiduciária, é realizada, extrajudicialmente, a notificação ao devedor por meio do serviço de registro de imóveis para pagamento. Caso não ocorra a quitação da dívida total o cartório fará na matrícula do imóvel o registro da quitação da dívida e consolidação da propriedade em favor do credor que poderá leiloá-lo para quitação do financiamento.

  12. 12 - Qual o benefício em se antecipar o pagamento de parcelas?

    No ato da antecipação parcial ou total do débito, é assegurada ao comprador a redução proporcional dos juros e demais acréscimos.

  13. 13 - No caso de atraso ou não pagamento de alguma prestação, o que poderá ser cobrado?

    Normalmente é cobrado multa de 2% e juros moratórios à razão de 0,033% (trinta e três milésimos por cento) por dia de atraso, conforme cláusula prevista no contrato de financiamento.

  14. 14 - O que é o Programa Minha Casa Minha Vida operacionalizado pela Caixa?

    É um programa habitacional lançado em 2009 pelo Governo Federal em parceria com os estados, municípios, empresas e movimentos sociais para a construção de novas casas e apartamentos para a população. É destinado a pessoas e famílias com renda de até 10 salários mínimos com concessão de subsídios, redução dos custos de seguro e acesso ao Fundo Garantidor da Habitação, que refinancia parte das prestações no caso de perda de emprego do tomador do financiamento.

  15. 15 - Quem pode participar do Programa Minha Casa Minha Vida?

    Podem participar pessoas ou famílias:
    com renda mensal de até R$ 5.000,00;
    que não tenham outro imóvel em seu nome;
    que não tenham participado de outro programa habitacional;
    que não tenham restrições cadastrais em seu nome.

  16. 16 - Existe limite de valor do imóvel para o Programa Minha Casa Minha Vida - PMCMV?

    Até R$ 190.000,00 - para os imóveis situados no Distrito Federal ou em municípios integrantes das regiões metropolitanas ou equivalentes dos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.
    Até R$ 170.000,00 - para os imóveis situados em municípios com população igual ou superior a 01 milhão de habitantes ou em municípios-sede de capitais estaduais.
    Até R$ 145.000,00 - para os imóveis situados em municípios com população igual ou superior a 250.000 habitantes ou em municípios integrantes de regiões metropolitanas ou equivalentes, inclusive aqueles integrantes da Região Integrada do Distrito Federal e Entorno – RIDE.
    Até R$ 115.000,00 – para imóveis situados em municípios com popução igual ou superior a 50.000 habitantes.
    Até R$ 90.000,00 - para os demais municípios.

    Enquadra-se nesse programa os imóveis novos construídos ou que se encontrava em fase de construção a partir de 26/03/09, que tenham até 180 dias de Habite-se e que quando ultrapassado esses 180 dias, não tenham sido habitados ou alienados.
    * Atenção: as informações aqui prestadas estão de acordo com o normativo da Caixa Econômica Federal e sujeitas a atualização a qualquer momento. Favor consultar a cartilha para maiores detalhes.

  17. 17 - O que é portabilidade de crédito de financiamento de imóvel?

    Conforme regra do Banco Central a portabilidade permite que uma pessoa transfira seu saldo devedor para outro agente financeiro que lhe ofereça melhores condições de financiamento, como prazo e taxas de juros. Após a escolha do banco, este quitará seu saldo devedor junto ao banco original com recursos transferidos eletronicamente e a partir daí seu novo contrato passará a vigorar com o novo banco.

  18. 18 - Qual sistema de amortização devo escolher para o meu perfil?

    Para os mais jovens, com real perspectiva de crescimento profissional nos próximos anos, sem condições de assumir prestações maiores agora, a Tabela Price constitui a melhor opção.
    Para as pessoas com carreira estabilizada, é mais indicado o SAC, pois esse sistema proporciona, ao longo do tempo (desde que a TR – taxa referencial se mantenha estável), um decréscimo mensal permanente da prestação.
    A Tabela Price também pode ser utilizada em casos que o comprador tenha consistente expectativa de recebimento de valor representativo em curto prazo e que necessite, enquanto isso de uma prestação menor. Um exemplo é a situação em que o comprador está vendendo o imóvel em que residia anteriormente. É fundamental para o bom andamento de uma operação de financiamento imobiliário que as pessoas estejam cientes de que estão assumindo um compromisso por muitos anos, portanto, o valor das prestações não deve comprometer a sua capacidade de pagamento além do esperado para preservar a sua qualidade de vida.